quarta-feira, 17 de julho de 2013

#vemproRio



Um movimento único acontece no Brasil. O grande legado da Copa das Confederações com certeza foi a adesão de milhares de brasileiros aos protestos país afora. Essas manifestações, em sua maioria, demonstram a insatisfação com os serviços básicos de saúde, educação e transporte.

Evidenciam o descontentamento com aqueles que deveriam nos representar, mas, sucessivamente - entra partido, sai partido -, travam disputas de poder e busca por interesses pessoais e partidários. Esqueceram que o verdadeiro sentido da política é o bem comum, não o bem pessoal.

A crise vai além dos serviços prestados à população, muito além da corrupção daqueles que nos representam na administração pública. É uma crise de modelos, o fracasso das ideologias, a perda dos valores morais. E isso não atinge apenas quem nos governa, é uma doença que deixa todo ser humano vazio.

A princípio, queria ir às ruas e me juntar aos meus irmãos na luta pelos nossos direitos. Interiormente, eu era atraído por esse movimento. E fui... E foi justamente lá, mesmo existindo diversas pautas justas, que eu percebi que muitos gritos não eram os meus, não faziam parte daquilo que eu acredito.

Percebi ainda, pelo noticiário, que algumas lideranças estavam sendo chamadas para dialogar com os governantes. Comecei a me perguntar: quem são essas lideranças? Eles estão defendendo os interesses de quem? Eles acreditam nos mesmo valores que eu? Eles defendem apenas causas materiais ou, como eu, querem a defesa de valores humanos, como a vida e a família? Enfim, me senti usado. Estava ali, como muitos, mas corria o risco de dar voz e força a uns poucos.

Não desejo excluir essa adesão popular à busca por seus direitos. Longe de mim. Quero, sim, realçar que se aproxima uma manifestação que fala de coisas que não são passageiras, que dão sentido ao coração do homem. Em meio à falta de modelos a serem seguidos, quero dizer que existe um homem que fala do que vive, que é coerente com o que prega, que arrasta milhões de pessoas pela força do testemunho. Esse homem é o Papa, essa manifestação é a Jornada Mundial da Juventude.

Por essa causa, vale pena ir às ruas. Pelos valores cristãos, vale a pena viver. E você, já decidiu pelo que
lutar? Independente da sua resposta, eu lhe convido: vem pra Jornada, vem pro Papa, vem pro Rio.

Igor Borges de Castro
Membro da Comunidade Católica Gratidão


Nenhum comentário:

Postar um comentário