quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

Precônio Natalino



Vinte e cinco de Dezembro. Décima primeira Lua*.

Tendo transcorrido inúmeros séculos desde a criação do mundo,
quando no princípio criara Deus o céu e a terra, e formara o homem à sua imagem;

Também muitíssimos séculos de quando, depois do dilúvio,
o Altíssimo assentara sobre as nuvens o arco-íris, sinal da aliança e da paz;

Vinte e um séculos depois da partida de Abraão, nosso pai na fé, de Ur dos Caldeus;

Treze séculos depois da saída de Israel do Egito, sob a guia de Moisés;

Cerca de mil anos depois da unção de David como rei de Israel;

Na sexagésima quinta semana, segundo a profecia de Daniel;

Na época da centésima nonagésima quarta Olimpíada

No ano setecentos e cinquenta e dois da fundação da cidade de Roma;

Do Império de César Otaviano Augusto, ano quadragésimo segundo;

Quando em todo o orbe reinava a paz, Jesus Cristo, Deus Eterno e Filho do Eterno Pai,
querendo santificar o mundo com a sua piedosíssima vinda, concebido do Espírito Santo,
tendo transcorrido nove meses depois da concepção,
nasce em Belém da Judeia da Virgem Maria, feito homem:


Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo carne.

Nenhum comentário:

Postar um comentário