sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

A Teologia do Corpo e o Carnaval - Exercícios Espirituais de Teologia do Corpo

 
 
 
 
Continuamos com nossos exercícios sobre Teologia do Corpo e, nessa semana, trazemos para você um texto de nossa autoria para reflexão acerca de tudo o que estudamos até agora em nossos encontros mensais sobre as catequeses de JPII.


Fique à vontade para deixar que essas palavras ressoem em sua vida nesses dias e para participar do próximo encontro em nossa sede, no dia 08 de março, às 08h30.


-
Neste final de semana teremos a festa do Carnaval, para nós que estamos nos aprofundando na Teologia do Corpo é mais uma oportunidade de irmos contra a correnteza e em vez de abusar do nosso corpo e do corpo dos outros, buscarmos ainda mais encarnar na nossa vida e no nosso corpo os ensinamentos do Beato João Paulo II.
 
A TdC é um sinal concreto do amor de Deus por nós, homens e mulheres que vivemos neste tempo. Tempo de concepções distorcidas e equivocadas acerca do corpo e do amor humano que acabam gerando em nós e em nossa sociedade consequências terríveis e dolorosas.
Ora nos deparamos com uma preocupação exagerada e desequilibrada a respeito do corpo. O culto ao corpo, tão explicitamente vivido nestes dias de Carnaval, chega a ultrapassar os limites da saúde em favor da perfeição imposta por modelos de homens e mulheres estéreis. Vemos homens muito fortes, cheios de músculos, cuja força não é utilizada para a proteção, antes é para a violência e agressão. Vemos mulheres que ignoram o dom intrínseco à feminilidade, rejeitando física e emocionalmente a maternidade e a pureza, e que buscam ser admiradas e desejadas por aquilo que podem oferecer por meio de seus corpos quase desnudos.
Ora nos deparamos com uma total aversão ao corpo, manifestada através de deformações que desfiguram o ser humano de tal forma que em alguns casos torna-se difícil identificar que a criatura que vemos diante de nós é um homem ou uma mulher.
Deus se fez homem, assumiu a nossa condição exceto no pecado para recapitular a nossa própria humanidade. Com Seu Corpo, Jesus nos revela a dignidade que o nosso corpo possui. Nosso corpo é um sinal que transmite ao mundo o mistério de Deus, mistério de amor e doação. Como sacramento, nosso corpo deve ser sinal de Deus, revelando através de nossa feminilidade e masculinidade o amor. Sim! O nosso corpo tem a capacidade de expressar amor!
O amor que somos chamados a expressar é o amor tal como Jesus manifestou ao mundo. Amor que é doação de vida, que cura, que salva, que deixa marcas. O amor expresso por nós nunca deve ser abuso, indiferença ou egoísmo. O amor nunca trai, nunca abandona quando as coisas ficam difíceis, não mata, não agride.
Como homens, o amor que se revela na masculinidade deve ser amor protetor, estável, que traga segurança e confiança. Amor que permanece. Amor que luta. Amor que se sacrifica.
Como mulheres, o amor que se revela na feminilidade deve ser amor terno, generoso, cuidadoso. Amor que é suave como uma flor, mas forte como o aço. Amor que não desiste. Amor que perdoa. Amor que se doa.
 
Como casais, o amor que se revela no matrimônio é sinal de mútua oblatividade. Amor que é fidelidade, cumplicidade, fecundidade.

 
Como solteiros, o amor se revela na castidade. É amor que espera, que tem domínio sobre si mesmo. Amor que respeita.

 
Como celibatários, o amor que se revela é antecipação do que é vivido no Céu, é comunhão íntima e perene com o Senhor. É amor que é sensibilidade do espírito que antecipa as alegrias e a participação na ressurreição futura.
 
Convidamos você neste feriado de Carnaval a se preparar para o tempo de Quaresma que se inicia com a Quarta-feira de Cinzas.
 
Reflita sobre a maneira como você está vivendo o chamado a ser sinal do amor de Deus neste mundo. De que maneira você está vivendo a dignidade do seu corpo. Rompa com os costumes ruins deste tempo, despeça-se da sexualidade distorcida, da exposição exagerada do seu corpo e viva em profunda espiritualidade estes dias pedindo ao Senhor a graça de vencer os impulsos perversos da carne, e de compreender o valor e a importância do seu corpo.
 
Sejamos sinal concreto do amor de Deus nestes dias. Vamos juntos revelar o próprio Deus e a sua vontade sobre o amor humano vivendo com dignidade nossa identidade masculina ou feminina e o nosso estado de vida.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir