sexta-feira, 2 de maio de 2014

Testemunho - Teologia do Corpo

Boa tarde!

Partilhamos com você hoje o testemunho da Laila Lima sobre a experiência dela com a Teologia do Corpo.

Esperamos por você em nossa sede amanhã às 08h30 para a manhã de formação, para que você também tenha a sua experiência!


 

O primeiro contato que tive com os temas da Teologia do Corpo (TdC) foi através da leitura do livro Amor e Responsabilidade, do então Cardeal Karol Woytila. À época, eu estava vivendo um período de discernimento antes de iniciar o meu namoro e a cada página, a cada contato com as verdades sobre o amor humano que ali eram reveladas, meu coração se encantava com a possibilidade de que tudo aquilo se tornasse um dia real em minha vida. Deus começava a usar a TdC para me curar e modelar.

A leitura era intensa, oracional; eu sentia que através dela Deus tocava no mais profundo do meu ser mulher, expondo o que era belo e também alcançando as feridas abertas pelas caricaturas de amor antes vividas. Eu precisava reaprender a me deixar ser amada para daí poder amar... Acima de tudo, percebi que Deus queria criar em mim a sensibilidade para compreender seus projetos para o amor humano, me preparando para vive-lo em corpo, alma e espírito, em todas as minhas relações. Ainda, o meu sonho de constituir uma família parecia se encontrar com o propósito de Deus de me levar a experimentar um amor livre, total, fiel e fecundo.

E é isso que hoje o estudo da TdC representa para mim: via de salvação, que me faz enxergar a beleza da minha feminilidade como algo que também contém aspectos do mistério invisível de um Deus Trino que é Amor.

A TdC me leva a me encontrar com a redenção da minha sexualidade e da minha afetividade, distorcidas pelo pecado e pela concupiscência; me faz entender o significado esponsal do meu corpo – a minha capacidade de exprimir amor e minha vocação a faze-lo através do dom total de mim mesma ao outro.

Conhecer a TdC inflama o meu coração do desejo de conversão, de renunciar diariamente ao pecado e de aprender a adorar a Deus com os meus traços femininos. Assim, como missionária, filha, irmã, amiga, namorada, peço a Deus que carregue minhas atitudes e palavras de ternura, que me ajude a buscar a modéstia que revela minha alma mais que o meu corpo, que permeie minhas relações fraternas com uma santa pureza, que exerça o seu senhorio no meu namoro ao aperfeiçoar os desejos e sustentar-nos na batalha diária para viver a castidade em sua plenitude.

Enfim, a TdC aumenta em mim a profunda alegria de ir contra a corrente e promover a revolução do amor em meio à cultura da morte que nos envolve atualmente; reafirma o sentido de viver a radicalidade do Evangelho e o ardor por dar ao mundo um testemunho de que é possível alcançar a totalidade do amor humano, revelado no masculino e no feminino, como Deus o sonhou.

Louvo a Deus pela docilidade do coração de João Paulo II, que soube acolher e transmitir este presente d’Ele ao seu povo que são os ensinamentos da TdC. E convido a cada um a mergulhar neste itinerário que o Senhor nos dá para entender e saciar o anseio do nosso coração pela comunhão com os outros e com Ele.

Laila Lima

Nenhum comentário:

Postar um comentário