quinta-feira, 19 de junho de 2014

Solenidade de Corpus Christi e a Teologia do Corpo




A solenidade de Corpus Christi é uma festa em honra a Jesus Eucarístico. Nela, segundo o código de direito canônico (944), devemos manifestar 'o testemunho público de veneração para com a Santíssima Eucaristia' e 'onde for possível haja procissão pelas vias públicas'. Mas que relação teria o que comemoramos nesse dia com a Teologia do Corpo?

Jesus, para permanecer no meio de nós, quando instituiu Sua presença na Eucaristia, disse: “Isso é o meu corpo que é dado por vós” (Lc 22,19). Um grande mistério de DOAÇÃO E COMUNHÃO, a presença de Jesus em corpo, sangue, alma e divindade.

O corpo de Cristo é “dado por nós e por muitos” para que permaneçamos em comunhão com Ele. Essas duas palavras, doação e comunhão, têm forte ligação também com nossos estudos sobre a teologia do Corpo.

Jesus nos dá Seu Corpo, entrega-se até a morte para que tenhamos vida. É o supremo do dom de si, dom do Amor que é mais forte que a morte e, por isso mesmo, alcança o supremo fruto da salvação. Assim, nos ensina a ofertar nossa vida, nossos corpos, por amor a Deus e aos homens. Somente dando-nos inteiramente é que encontraremos sentindo nessa vida. “Quem perde a sua vida por amor a mim a encontrará.” (Mt 16,25).

Jesus também derrama por nós o Seu Sangue. Derrama cada gota, até a morte, para que tenhamos vida. O sacrifício, a dor e a morte são transformados em ato de doação. Como o grão de trigo que precisa morrer para gerar vida. Essa é a transformação que o dom da Eucaristia nos impele a fazer: morrer para nós mesmos, para nossas paixões, para os nossos egoísmos, e nos transformarmos em sacrifício de amor, em doação para os outros.

A Eucaristia, além de mistério de doação e sacrifício, é alimento para a nossa comunhão. Um alimento comum é absorvido por nosso organismo e torna-se parte de nós. Já o Corpo de Cristo, comungado por nós, transforma-nos Nele mesmo. Somos nós a ser assimilados por Ele nessa comunhão. Essa realidade nos faz lançar um olhar para comunhão de pessoas à qual fomos criados e à qual somos destinados, um com os outros e com Deus.

Porque somos unidos ao Corpo de Cristo, somos um com nossos irmãos. Não é possível estar em comunhão com Cristo sem estar em comunhão com o próximo, que também é parte de Seu Corpo. Por isso, a Eucaristia é dom de comunhão que vence a divisão.

Podemos também remeter essa dimensão da comunhão para nossa unidade de corpo e alma. O dom Eucarístico também é alimento que nutre corpo e alma, fortalecendo o homem em sua integralidade e, por isso, ressaltando a dignidade do corpo. Devemos ainda ressaltar a comunhão entre masculino e feminino, iguais em dignidade, mas complementares na unidade do Corpo de Cristo, a Igreja. Mais uma vez, é a comunhão que vence a divisão.

Neste dia de louvor e gratidão pela presença de Jesus em nosso meio na Eucaristia, somos convidados a oferecer nossa vida a Deus, à Igreja e aos irmãos como um dom de amor.

Comunidade Católica Gratidão

Nenhum comentário:

Postar um comentário