quinta-feira, 31 de julho de 2014

Testemunho - Teologia do Corpo



Boa noite!

Partilhamos com você o testemunho da Elaine Leal sobre a Teologia do Corpo. Ela conheceu a TdC no Hallel do ano passado e frequenta o nosso curso desde fevereiro.

Esperamos por você no sábado, para que venha ter uma experiência semelhante à dela.
-------
A Teologia do Corpo chegou à minha vida com todas as respostas para minhas dúvidas. Cresci em uma família com muito amor envolvido e ao mesmo tempo com um conceito errado desse “amor”. Apesar de ainda não ter sofrido nenhuma decepção amorosa presenciei pessoas que amo sendo machucadas e isso também me machucava indiretamente, o que acabou fazendo com que eu me bloqueasse para qualquer tipo de relacionamento. E talvez, por causa desse bloqueio acabei me isolando. No auge da minha adolescência me prendi em um mundo virtual, depois de um tempo, ainda com um coração ansioso, cheio de dúvidas, por meio de influências de algumas pessoas e mais uma vez com um conceito errado sobre o amor resolvi experimentar um momento mais aventureiro, o que me fez sair da solidão, mas ainda não tirava a inquietação do meu coração, pelo contrário, fiquei com mais. Aqueles momentos não me faziam feliz, às vezes, na hora sim, mas depois sempre vinha o arrependimento e eu percebia que isso não era o que eu buscava.

Foi então que Deus enviou na minha vida um membro da comunidade, que me convidou para conhecer os lindos e sinceros caminhos do Senhor. Lembro que o primeiro contato que tive foi no Hallel que em tão pouco tempo já tinha me encantado e sentido algo diferente no meu coração, algo me chamando a conhecer melhor. Comecei a participar dos encontros e foi como se eu estivesse em um corredor escuro e a cada sábado uma luz ascendia. Que felicidade! Ali, naqueles momentos de estudo da TdC eu conseguia me encontrar e me entender.

A Teologia do corpo me fez amadurecer e entender que eu fui criada para o amor. Que apesar da visão da sociedade e das opiniões de alguns amigos eu não preciso ter vergonha de viver da maneira que Deus escolheu para mim. Hoje eu não tenho medo ou vergonha de expor isso, pois a TdC me ajudou a ter um conceito diferente. Que viver a castidade não é “brega” e sim uma escolha linda, um respeito com o meu corpo e com o corpo do meu próximo.

O tema “matrimônio” do encontro passado fez com que os gelos do meu coração se quebrarem ainda mais. Percebi que ainda tenho uma visão muito egoísta, talvez pela criação e pela o que a sociedade impõe hoje em dia, mas me deu a certeza que eu quero ser diferente, quero ser aquilo que Deus preparou para mim. Semanas atrás em uma conversa com minha mãe comentávamos sobre a passagem “As mulheres sejam submissas a seus maridos, como ao Senhor. Pois o marido é o chefe da mulher, como Cristo é o chefe da Igreja, seu corpo, da qual ele é o Salvador.” E nem eu e nem ela chegamos a uma conclusão, mas posso até confessar que pensamos em um conceito totalmente preconceituoso. Até que sábado, para minha surpresa, tivemos o estudo dessa passagem e consegui entender que são palavras perfeitas e também o tanto que eu estava errada. Foi uma alegria chegar em casa, poder voltar ao assunto e explicar para minha mãe o verdadeiro significado. Fez-me pensar também quantos e quantos casais se desfazem por não conhecerem essa linda essência e em como levar isso para a sociedade e para minha própria família.

Enfim, com a TdC aos 23 anos me redescobri com um sentimento mais belo e puro, sem tantos julgamentos e cobranças, mas de uma forma livre. E que sim, é possível acreditar no amor e é o amor que Cristo expressou na Cruz que eu devo copiar. Posso afirmar que sou uma pessoa muito mais feliz agora e que consigo entender o verdadeiro sentido de viver o amor. Ainda tenho que aprender muito, mas aos poucos estou conseguindo sair desse bloqueio comigo mesma. Como eu disse, a cada sábado meu corredor vai ascendendo uma luz.

Agradeço a Deus por ter me escolhido a participar dessa Teologia, seria muito bom se todas as pessoas conhecessem. E agradeço muito também à Comunidade Católica Gratidão por esse lindo trabalho, pelo espaço, por essa oportunidade e por essas pessoas que com a benção Deus ajudaram a clarear minha vida.

Atenciosamente,

Elaine Leal

Nenhum comentário:

Postar um comentário