quarta-feira, 11 de novembro de 2015

O que é a Teologia do Corpo?

Todas as quartas-feiras, os Santos Padres realizam as chamadas Audiências Gerais. São frutos de uma tradição iniciada pelo Papa Pio IX, em 1870, e que obteve continuidade com os seus sucessores, perdurando até hoje. Tratam-se de catequeses, nas quais os Sumos Pontífices recebem os peregrinos e se relacionam de forma mais direta com eles. 

A Teologia do Corpo – TDC – nada mais é do que ciclos de catequeses proferidas pelo Bem-Aventurado São João Paulo II – SJPII – nestas audiências de quarta-feira, enquanto Papa, durante o período de 1979 até 1984. Estas 129 catequeses receberam do próprio Papa o nome de Teologia do Corpo, pois possuem como base a interpretação do plano de Deus para a sexualidade humana, segundo à luz do Evangelho, e possuem como intuito levar a Tradição da Igreja acerca do assunto de uma forma mais facilmente compreensível por todos nós fiéis (jovens, solteiros, casados, homens e mulheres de uma forma geral).

Mas por que o Santo Padre trouxe isto à tona?

Ao passarmos pelas catequeses, perceberemos que SJPII nos convida logo de início a refletirmos sobre a unidade e a indissolubilidade do matrimônio, tendo como ponto de partida o plano original de Deus para a sexualidade humana com a criação do homem como pessoa, homem e mulher. Assim, a Teologia do Corpo vem nos mostrar que as questões de ordem moral-sexual ultrapassam a superficialidade que o mundo moderno vem querendo implantar, e nos conduz a uma discussão daquilo que é próprio da existência humana.

Segundo Christopher West, um dos principais promotores da divulgação da Teologia do Corpo por todo o mundo, SJPII

“busca reconstruir estas experiências não tanto para mostrar precisamente quem o homem e a mulher eram naquele tempo, mas para nos ajudar a entender quem nós somos hoje – e melhor ainda - quem nós devemos ser”
(Theology of the Body Explained (Revised): A Commentary on John Paul's "Man and Woman He Created Them, 66).

Assim, compreendemos com a Teologia do Corpo que entender o plano original do amor de Deus para o homem nos permite entender quem é verdadeiramente o ser humano. E consequentemente, como que ele com a sua humanidade é chamado a participar de uma comunhão com Deus, a partir da criação como homem e mulher, que em sua união conjugal se tornam “uma só carne”, à imagem e semelhança de Deus.

O Santo Padre exorta duas maneiras pela quais o homem exerce este chamado de “Companheiro de Deus” com a sua sexualidade: o matrimônio e o celibato para o reino dos céus. Daí concluímos que os

“casais através do seu amor casto, formam um verdadeiro sacramento do eterno matrimônio, enquanto aqueles que vivem o celibato “pulam” o sacramento, por assim dizer, a fim de ofertar os seus desejos para o matrimônio definitivo: a união com Deus”
(WEST, Christopher. How to follow God’s plan for human sexuality using three easy words).

Por fim, resta salientar que ainda que o homem tenha perdido a inocência primitiva e a plena comunhão com o plano original do amor de Deus, encontramos nos estudos do Santo Padre o chamado que Jesus nos faz a “ultrapassar este limite”. Isto pois, Ele veio para nos redimir e que sendo assim, podemos participar novamente da comunhão com o Pai. Em Jesus, temos a esperança de ser quem o Pai nos criou: à sua imagem e semelhança, feitos por amor e para o Amor.


Por que estudar a Teologia do Corpo?


“Temos de conhecer as pessoas e as coisas humanas para as amar. Temos de amar a Deus e as coisas divinas para as conhecer”
Blaise Pascal (1623-1662, matemático e filósofo francês).

Conhecer o que é de Deus pressupõe um segundo passo na experiência com Ele e que deve ser desempenhado logo após encontrarmos o Amor. Infelizmente, em nossas vidas nós aplicamos o método de “conhecer as coisas humanas” também as coisas de Deus, e que por assim ser, obtemos um conhecimento distorcido das coisas divinas e distante do que seria se fosse segundo a instrução que o próprio Deus nos concede para que nós O conheçamos.

Com isto, perguntas como “Por que Deus nos criou?”, “O que significa o Verbo ter se feito carne?”, “Por que Deus criou o mundo?”, “O que significa dizer que o ser humano foi criado à imagem e semelhança de Deus?”, “De que forma Deus criou o ser humano homem e mulher?”, etc., que deveriam ser respondidas sob a condução dEle acabam por serem erroneamente respondidas pelo mundo “moderno”, muitas vezes nada fiel à Verdade, que acaba se tornando o formador da nossa consciência.

Assim, quando nos encontramos com Deus e nos dispomos a ser todos dEle, temos uma imensa dificuldade de colocar em prática, no nosso dia a dia, os frutos que acolhemos das nossas experiências com o Senhor. E no tocante a sexualidade, taxamos a Castidade como algo impossível de ser vivida.

E não é assim que deve ser o nosso caminho quando descobrimos Deus. O nosso chamado é colocá-lO em primeiro lugar de nossas vidas a fim de se começar uma vida nova, assumindo o estilo de Jesus Cristo.

O porquê de estudarmos a Teologia do Corpo se encontra na desconstrução de mentiras que colhemos ao longo da vida acerca da nossa existência como pessoas, homens e mulheres. Em uma de suas catequeses, São João Paulo II já havia afirmado:

“pelo fato de o verbo ter se feito carne, o corpo entrou pela porta principal da teologia”.

Assim sendo, descobrimos que não somos meros expectadores da obra da Criação, mas reconhecemos o amor no plano original que Ele teve para nós, e, livres da escravidão do pecado, começamos uma nova e profunda relação com Deus a partir da Verdade.

O estudo da Teologia do Corpo consiste em notar na criação do homem e da mulher um chamado a comunhão, que se inicia entre nós, mas que é somente uma indicação, um pequeno reflexo, da comunhão de amor com a Santíssima Trindade que somos convidados a participar na vida eterna.


Como?


São João Paulo II nos convida a olhar para a união de Cristo com a Igreja ao se tornar “uma só carne” (Efésios 5) com ela, conosco, na Eucaristia.

Vivermos o Evangelho sob à luz da Teologia do Corpo nos tornará então gratos pela criação mas também pela redenção comunicada ao homem, que nos permitiu gozar novamente do chamado a estarmos em comunhão com o Pai.

E como este estudo pode realizar em mim uma mudança de vida?



De fato, é preciso levar o conhecimento adquirido pela TDC aos atos concretos no nosso dia-a-dia. Para tanto, iremos trazer aqui em nossa página os conceitos e os ensinamentos à esfera da realidade em que vivemos: relacionamentos, trabalho, sexualidade, casamento, namoro, filmes... e por aí vai!

Fiquem atentos a espera da continuidade do texto!

Nenhum comentário:

Postar um comentário