segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

2ª-feira da 1ª Semana Tempo Comum

Cor: Verde

1ª Leitura - 1Sm 1,1-8
Sua rival a magoava e atormentava, humilhando-a pelo fato de o Senhor a ter tornado estéril.
Início do Primeiro Livro de Samuel
O episódio com que se abre o primeiro livro de Samuel assinala o início de uma reviravolta decisiva para o povo de Deus: a introdução da monarquia. Em uma das três festas anuais (Ex 23, 14), a dos tabernáculos, Elcana se apresentou com suas duas mulheres, Fenena e Ana, para adorar e oferecer sacrifício a Javé. Em Silo estava a arca, ali colocada no tempo dos juízes. A situação das duas mulheres de Elcana é análoga à de Sara e Agar (Gn 16, 4-5). Ana, apesar de estéril, é preferida por Elcana escarnecida pela sua rival Fenena. A pergunta final de Elcana: “Não sou eu para ti, acaso, mais do que dez filhos? ” parece preparar a oração de ana (1, 9-20) e sua acolhida pelo Senhor.

Leitura do primeiro livro de Samuel
1 Havia um homem sufita, oriundo de Ramá, no monte Efraim, que se chamava Elcana, filho de Jeroam, filho de Eliú, filho de Tou, filho de Suf, efraimita. 2 Elcana tinha duas mulheres; uma chamava-se Ana e a outra Fenena. Fenena tinha filhos; Ana, porém, não tinha. 3 Todos os anos, esse homem subia da sua cidade para adorar e oferecer sacrifícios ao Senhor Todo-poderoso, em Silo. Os dois filhos de Eli, Hofni e Finéias, eram sacerdotes do Senhor naquele santuário. 4 Quando oferecia sacrifício, Elcana dava à sua mulher Fenena e a todos os seus filhos e filhas as porções que lhes cabiam. 5 A Ana, embora a amasse, dava apenas uma porção escolhida, pois o Senhor a tinha deixado estéril. 6 Sua rival também a magoava e atormentava, humilhando-a pelo fato de o Senhor a ter tornado estéril. 7 E isso acontecia todos os anos. Sempre que subiam à casa do Senhor, ela a provocava do mesmo modo. E Ana chorava e não comia. 8 Então, Elcana, seu marido, lhe disse: 'Ana, por que estás chorando e não te alimentas? E por que se aflige o teu coração? Acaso não sou eu melhor para ti do que dez filhos?'
Palavra do Senhor.

            Samuel, filho totalmente inesperado, revela-se o homem da providencia: sobre ele pesará o grave encargo de atender às instancias do povo, que desejava ter um rei; receberá também de Deus a incumbência de sagrar o primeiro rei. Mas, antes que tudo isso aconteça, uma mulher está imersa na mais profunda tristeza. Uma tristeza que as delicadas atenções do marido não conseguem afastar. Por que essa situação de injustiça? Por que à outra tantos filhos e a mim nenhum? Por que à outra tantas honras e a mim o desprezo?... Tantas perguntas sem resposta, em face da física e moral, em face das injustiças, das desigualdades em matéria de dinheiro, sucesso, capacidade, relações. O cristão, enquanto se esforçar para promover um mundo mais justo e mais habitável, sabe ler nos acontecimentos alegres ou adversos o plano de Deus, que se realiza também através dos erros, incapacidade e maldade dos homens. O problema da esterilidade aflige muitos casais, mesmo num tempo em que só se fala de controle de natalidade e de aborto. Recorrer a Deus é sempre possível.

Salmo - Sl 115, 12-13. 14.17. 18-19 (R. 17a)
R. Oferto ao Senhor um sacrifício de louvor.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia.
12 Que poderei retribuir ao Senhor Deus *
por tudo aquilo que ele fez em meu favor?
13 Elevo o cálice da minha salvação, *
invocando o nome santo do Senhor. R.

14 Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
na presença de seu povo reunido.
17 Por isso oferto um sacrifício de louvor, *
invocando o nome santo do Senhor. R.

18 Vou cumprir minhas promessas ao Senhor *
na presença de seu povo reunido;
19 nos átrios da casa do Senhor, *
em teu meio, ó cidade de Sião! R.
Evangelho - Mc 1,14-20
Convertei-vos e crede no Evangelho!
Marcos apresenta Jesus como o arauto que traz este alegre anúncio ou “evangelho”: o reino final de Deus, predito e esperado no AT, está às portas. É, portanto, o momento adequado para decidir-se por este, mediante a conversão e fé, abandono a mentalidade perversa que se tem, para adotar a de Deus. Como modelo de resposta, Marcos narra, esquematicamente, a vocação dos quatro primeiros discípulos: estes atendem prontamente o convite e deixam profissão e família por amor de Jesus e para tornarem-se, como ele, pescadores de homens.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos
14 Depois que João Batista foi preso, Jesus foi para a Galiléia, pregando o Evangelho de Deus e dizendo: 15 'O tempo já se completou e o Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho!' 16 E, passando à beira do mar da Galiléia, Jesus viu Simão e André, seu irmão, que lançavam a rede ao mar, pois eram pescadores. 17 Jesus lhes disse: 'Segui-me e eu farei de vós pescadores de homens'. 18 E eles, deixando imediatamente as redes, seguiram a Jesus. 19 Caminhando mais um pouco, viu também Tiago e João, filhos de Zebedeu. Estavam na barca, consertando as redes; 20 e logo os chamou. Eles deixaram seu pai Zebedeu na barca com os empregados, e partiram, seguindo Jesus.
Palavra da Salvação.


            “O Reino de Deus está próximo. Convertei-vos e crede no Evangelho (v. 15). O anúncio é feito a todos, todos são convidados a “mudar”. Há, porém, quem receba um convite particular: um convite mais exigente e mais radical, porque importará em deixar tudo por causa de um ideal que ainda não está bem definido; foram os apóstolos, que acolheram de maneira definitiva o convite de Jesus. O modo como Jesus chama seus discípulos para o seguirem é característico do estilo novo que o jovem rabi quer impor aos seus. Não os reúne em torno de si, como o faziam os rabinos e mestres do seu tempo, mas convida para segui-lo. Ele não é um erudito que ocupa uma cátedra e concentra diante de si ouvintes entusiastas, mas um rabi itinerante, sempre em busca do mais pobre e do mais distante. E é precisamente isto que Jesus exige ainda hoje dos seus: pessoas que “fazem”, que agem, que se colocam a serviço dos mais pobres, generosamente.

                                              Fonte: Missal da Assembléia Cristã, PAULUS

Nenhum comentário:

Postar um comentário