terça-feira, 31 de maio de 2016

Dar-se exclusivamente a Deus


O chamado à santidade é universal e todos os que são batizados devem buscar a perfeição.  Porém, o Espírito Santo concede a alguns um dom específico, uma missão profética de consagrado, ou seja, de fazer um voto com Deus de dedicação e entrega, na qual se oferece em sacrifício de amor o dom total da sua vida com obrigatória observância dos votos de pobreza, obediência e castidade. Nisto se encontra a perfeição da caridade. Importante destacar, segundo São Tomás de Aquino (questão 186, Suma Teológica), tal estado se alcança na vida religiosa ou no episcopado.

Após o Concílio Ecumênico Vaticano II, apareceram novas ou renovadas formas de vida consagrada que nascidas de novos estímulos espirituais e apostólicos são submetidas a análise pela autoridade da Igreja de sua vitalidade com consequente espera de reconhecimento oficial pela Sé Apostólica, a única a quem compete o juízo definitivo. Estas novas formas de vida consagrada, que se vêm juntar às antigas, testemunham a constante atração que a doação total ao Senhor, o ideal da comunidade apostólica, os carismas de fundação continuam a exercer mesmo sobre a geração atual, e são sinal também da complementaridade dos dons do Espírito Santo. Nisto observa-se continuação da unidade com as antigas formas de vida consagrada, graças ao chamamento sempre idêntico a seguir, na busca da perfeita caridade, Jesus virgem, pobre e obediente.

Inicialmente, imitar Cristo, chamado característico da vida consagrada, é segui-Lo mais de perto e fazer d'Ele "o tudo" da sua existência. Na sua vocação, portanto, está incluído o dever de se dedicar totalmente à missão que antes de ser caracterizada pelas obras externas, define-se pelo tornar presente o próprio Cristo no mundo, através do testemunho pessoal. Este é o desafio, a tarefa primária da vida consagrada! Quanto mais se deixa conformar com Cristo, tanto mais O torna presente no mundo e operante para a salvação dos homens.

Ainda, pode-se afirmar que a pessoa consagrada está em missão por força da sua própria consagração, testemunhada segundo o projeto do respectivo Instituto. Quando o carisma de fundação prevê atividades pastorais, o testemunho de vida agregado às obras de apostolado e promoção humana são igualmente necessários: ambos representam Cristo, que é simultaneamente o consagrado à glória do Pai e o enviado ao mundo para a salvação dos irmãos. Além disso, outro elemento que participa na missão de Cristo é a vida fraterna em comunidade, isto indica que a consagração será tanto mais apostólica quanto mais íntima for a sua dedicação ao Senhor Jesus, quanto mais fraterna for a sua forma comunitária de existência e quanto mais ardoroso for o seu empenho na missão específica do Instituto.


Enfim, a vida consagrada deve ser uma fábrica de santidade, cujos produtos devem ser santos no meio do mundo em que cada carisma busque um tríplice encaminhamento: primeiro, encaminhamento para o Pai no desejo de procurar filialmente a sua vontade através de um processo contínuo de conversão, no qual a obediência é fonte de verdadeira liberdade, a castidade exprime a tensão de um coração insatisfeito com todo o amor finito, a pobreza alimenta aquela fome e sede de justiça que Deus prometeu saciar (cf. Mt 5,6). Também, um encaminhamento para o Filho, com quem induzem a cultivar uma íntima e feliz comunhão de vida, na escola do seu serviço generoso a Deus e aos irmãos. E terceiro com igualdade de importância, um encaminhamento para o Espírito Santo, enquanto dispõe a pessoa a deixar-se guiar e sustentar por Ele, tanto no próprio caminho espiritual como na vida de comunhão e na ação apostólica, para viver naquela atitude de serviço que deve inspirar toda a opção de um autêntico cristão.

Comunidade Católica Gratidão

Nenhum comentário:

Postar um comentário