domingo, 17 de julho de 2016

“Maria escolheu a melhor parte e esta não lhe será tirada.” (Lc10,42).




A realidade “Marta” é a nossa missão, nossos afazeres cotidianos nas várias áreas de nossa vida (profissional, vocacional, familiar, relacional, rotina etc.). É tudo aquilo que temos que fazer. E fazer bem o que temos que fazer agrada muito ao Senhor, além de nos santificar muito também. Fazer com amor e devoção tudo o que nos é apresentado pelo Senhor e também aquilo nos vem através de nossas escolhas e projetos, os quais ofertamos ao Senhor e lhe pedimos sua benção.

A realidade “Maria” é a nossa identidade mais profunda, nosso chamado, nossa intimidade com Jesus, nossa vida de oração, nossa contemplação, nossa escuta de Deus, nossa Lectio divina, nossa Santa Missa diária, nossa Confissão sacramental. Nosso Carisma!. É a nossa essência como ser humano, render adoração ao Único Deus que merece sempre nossas primícias, nosso melhor, nossa humanidade.
    
É a nossa vida de intimidade e adoração ao Senhor que torna nossas atividades fecundas. A intimidade garante a unção da missão. Senão seria mero ativismo. Pregar por pregar, cantar por cantar, impor as mãos por impor as mãos.

Temos que sempre separar um tempo de nosso dia todos os dias para estarmos aos pés do Senhor para o escutar, saber o que Ele tem a nos dizer a cada dia, qual a sua ordem para hoje, o  que temos que fazer hoje. Mas também é o momento onde Ele esta a nos escutar, esta a acolher nossa humanidade desejosa de lhe agradar em tudo.

Mesmo que nosso tempo reservado à oração seja menor se comparado ao tempo que trabalhamos todo dia, esse não é problema. Mesmo que dediquemos apenas 20 minutos à oração o que importa é que esses 20 minutos devem reger o restante de nosso dia. Claro que não iremos ficar 10 horas parados diante do Santíssimo Sacramento (...que pena!!!), mas temos que  fazer com que aquele momento perdure, se estenda pelo nosso dia e em nossos afazeres. Que a unção que alcançamos na oração seja consumida durante o dia. Que a graça recebida seja derramada nas pessoas que encontrarmos e nas tarefas que  fizermos.

Outra necessidade também é a de estarmos a todo momento em oração, durante todo nosso dia. É saber que a oração não é só quando estamos diante de Jesus Eucarístico, não é só quando rezamos nosso Terço ou quando meditamos as Sagradas Escrituras. Claro, esses são os momento de oração e intimidade por excelência!!! Mas a oração não se encontra apenas entre dois “sinais da Cruz”. Ela deve percorrer todo nosso dia, estar em tudo que realizarmos.

É estar sempre com Jesus, falar sempre com Ele, pedir conselhos, reclamar do trânsito e da fila, pedir que Ele mande sua Água Viva em meio aos 13% de umidade relativa do ar. Mas não é só chama-Lo para estar contigo, é crer que Ele está!!!

Marta estava sim atarefada demais, mas também pudera né!!! Ela estava recebendo Jesus, o Rei dos reis em sua casa. Vamos dar um desconto para ela, afinal ela queria agradar Jesus. Devia ter dado uma faxina daquelas na casa, trocado as toalhas e os tapetes, arrumado flores para decorar e perfumar a casa, deve ter feito aquele banquete para Jesus!!! E Ele com certeza se agradou.
Marta e Maria devem ser duas realidades harmonicamente presentes e atuantes em nós.

Mas não podemos achar que o mais importante em nossa vida e vocação seja aquilo que fazemos, mas sim o que somos diante de Deus e do próximo.

Sejamos bem para fazermos bem!!!

Comunidade Católica Gratidão

Nenhum comentário:

Postar um comentário