sexta-feira, 29 de julho de 2016

Os quatro sentidos da sagrada escritura

As Sagradas Escrituras são parte do tesouro que Jesus Cristo deixou à Igreja, através dos apóstolos. Todo cristão deve se esforçar para conhecer e viver segundo as Escrituras, porque é santidade. Isso foi entendido pelos Padres da Igreja, ou seja, os sábios, os santos dos primeiros séculos da Igreja, e eles comprometeram suas vidas no conhecimento e na prática do mistério de Deus, atestada nos livros sagrados.

Dizem, aliás, que um anão que fica sobre os ombros de um gigante pode ver mais longe do que o gigante se, embora, naturalmente, sua visão é principalmente devido ao gigante que o apoiou.
Algo semelhante acontece neste caso: se permanecemos sobre os ombros desses gigantes, que foram os pais da Igreja, teremos, sem dúvida, que ver mais longe. Podemos fazer muito no caminho da vida cristã quando somos guiados por eles.

Sem dúvida, que temos também a ajuda de modernos métodos de interpretação dos documentos que a ciência de hoje vêm desenvolvendo. Também não devemos rejeitar o seu uso. No entanto deve-se notar que o ensinamento patrístico nos destaca algo que é essencial, e que é por vezes esquecida: a leitura das Escrituras com o mesmo espírito em que foi escrito.

Um escritor medieval, resumiu os ensinamentos dos pais sobre os sentidos da Escritura sugerindo que podemos encontrar nas quatro direções: o significado literal, o alegórico, o sentido moral e sentido analógico. O Catecismo da Igreja Católica nos propõe isto. Nele somos informados de que o significado literal quer dizer as palavras da Escritura é descoberto pela exegese que segue as regras de interpretação justa.

O sentido alegórico é o que nos permite adquirir uma compreensão mais profunda dos acontecimentos, reconhecendo a sua importância em Cristo, e a passagem do Mar Vermelho é um sinal da vitória de Cristo e, portanto, o batismo. Este sentimento não é, como alguns podem acreditar, um sentido arbitrário, que é colocado ao sabor do leitor, mas que, iluminada pela fé, ela vê a Cristo em todas as Escrituras. Alguns pensam que é algo parecido com os carros alegóricos do carnaval, e se esqueceram de que, na realidade, uma alegoria vem do grego e significa que os outros, neste caso, a outra maneira ao que está contido na letra da Escritura. O sentido alegórico é que a carta foi descoberto quando se descobre o mistério de Cristo.

O senso moral indica que os eventos narrados na Escritura podem conduzir-nos a agir com justiça. Isto é que se descobriu o mistério de Cristo, através do sentido alegórico, também temos de vivê-la. O que nos diz como viver o mistério é o sentido moral. Assim, na vida espiritual, podemos compreender, que a moralidade cristã não é uma simples coleção de regras sobre o que fazer ou não fazer, mas para toda a vida, que vem da fonte da vida, Jesus cristo Nosso Senhor nos deu seu Espírito.

Finalmente, o sentido anagógico é aquele pelo qual nós podemos ver realidades e acontecimentos em sua significação eterna, conduzindo-nos para o nosso país (céu), a Igreja na terra é um sinal da Jerusalém celeste. Em outras palavras, o sentido anagógico está nos ensinando que o nosso objetivo não é deste mundo, mas estamos no caminho para a casa do Pai na eternidade. Este sentimento está nos encorajando e orientando a nossa esperança.

Às vezes tenho pensado que, no fundo, quando uma homilia ou reflexão é boa, é porque eles nos ensinam os quatro sentidos da Escritura, mas às vezes sem saber o nome de cada um destes sentidos.
Se o sacerdote explica as leituras do texto, faz-nos ver quando e como se escreveu e por que, etc. ilumina-nos sobre o sentido literal, indispensável para sugerir qualquer outra coisa. Quando explicamos, uma vez resolvido o sentido literal, como brilha o mistério da salvação operada por Cristo, estamos propondo o sentido alegórico. Tendo feito isso, quando o padre nos mostra a relação entre o mistério da vida cristã diária, onde vivemos a Escritura ensina-nos um sentido moral. No final, quando ele nos diz que se manter o mistério em nossos corações e colocá-la em prática vai conseguir a felicidade dos santos, então estamos propondo o sentido alegórico.

É necessário, portanto, ler e redescobrir a importância dos pais da Igreja neste campo. É necessário ler Irineu, Orígenes, Agostinho, São João Crisóstomo. Nós não somos o tempo para a direita, mas, sem dúvida, sua contribuição foi enorme para nós, hoje podemos ler corretamente as Escrituras com o espírito em que foram escritos.


Nenhum comentário:

Postar um comentário