domingo, 7 de agosto de 2016

XIX Domingo do Tempo Comum


A Palavra de Deus deste domingo nos convida à vigilância, a permanecer sempre atentos e disponíveis para acolher o Senhor, que vem ao nosso encontro. O verdadeiro discípulo não se acomoda; está sempre preparado para o encontro com o Senhor, administrando de modo “fiel e prudente” os bens dele recebidos, pois é incerta a hora de sua chegada. A vigilância a qualquer hora e circunstância é sinal de que o discípulo fiel de Jesus Cristo deve agir como tal o tempo todo; não há uma jornada de vigilância, seguida de um tempo de descanso, como se fosse uma jornada de trabalho. Quem segue a Jesus deve ser coerente e fiel o tempo todo, não importando a hora, o local ou a atividade.

Na primeira leitura, o livro da Sabedoria se refere à noite do êxodo, “esperada pelo povo” que, vigilante e atento aos sinais de Deus, oferecia-lhe sacrifícios, na libertação da escravidão no Egito. A fidelidade aos caminhos de Deus traz vida nova e a verdadeira liberdade, ao contrário da idolatria dos deuses egípcios que gerava opressão e morte.

A Carta aos Hebreus nos faz pensar na importância da fé para quem espera pelo Senhor e pela “pátria celeste”. A fé é definida como “um modo de já possuir o que ainda se espera; a convicção acerca de realidades que não se veem” (Hb 11,1). A fé fundamenta a esperança A peregrinação dos justos no mundo presente se faz da esperança da “cidade que Deus preparou”. Esperança que brota da fé e se expressa como perseverança e vigilância sobre a própria conduta; sempre atentos ao caminho que estamos percorrendo. Neste caminhar, o “testemunho dos antepassados” serve de exemplo e estímulo.

O Mês Vocacional, que estamos iniciando em todo o Brasil é uma ocasião especial para refletir sobre como temos vivido a vocação para a qual somos chamados. As diversas vocações são muito importantes na Igreja: a vocação cristã ou vocação à santidade, comum a todos; a vocação sacerdotal, a vocação à vida consagrada, o chamado para a vida matrimonial, a vocação dos fiéis leigos, com os diversos serviços que exercem. Neste início do Mês Vocacional, somos convidados a rezar, de modo especial, pelas vocações sacerdotais, refletindo sobre a sua importância na Igreja. Agradeçamos a Deus pelo dom do sacerdócio, principalmente por cada um de nossos padres. Agradeçamos aos nossos sacerdotes pela dedicação pastoral, rezando por eles, para que sejam fiéis na vivência do ministério sacerdotal, contando sempre com a graça de Deus e o apoio da comunidade.

Dom Sergio da Rocha
Arcebispo de Brasília

Nenhum comentário:

Postar um comentário