sábado, 3 de setembro de 2016

Alimento da Palavra de Deus


Pedir o pão para o nosso dia-a-dia torna-nos pessoas que esperam da bondade do seu Pai do Céu tudo o que é necessário, tanto os bens materiais como os espirituais. Nenhum cristão deve fazer esse pedido sem pensar na sua responsabilidade real por aqueles a quem faltam os bens mais básicos.

2835. Esta petição e a responsabilidade que comporta valem também para outra fome de que os homens morrem: «O homem não vive só de pão, mas de toda a palavra que sai da boca do Deus» (Mt 4, 4) (106), quer dizer, da sua Palavra e do seu Sopro. Os cristãos devem mobilizar todos os esforços para «anunciar o Evangelho aos pobres». Há uma fome na terra que «não é fome de pão nem sede de água, mas de ouvir a Palavra do Senhor» (Am 8, 11). É por isso que o sentido especificamente cristão desta quarta petição tem a ver com o Pão da Vida: a Palavra de Deus, que deve ser acolhida na fé, e o corpo de Cristo, recebido na Eucaristia (107).

Isso lembra-nos que o ser humano também tem fome espiritual, que não pode ser mitigada com recursos materiais. Pode morrer-se de falta de pão, mas também se pode morrer de comer apenas pão. O nosso ser profundo é alimentado por quem tem "palavras de vida eterna" (Jo 6,68), por um alimento que não apodrece (Jo 6,27), a Sagrada Eucaristia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário